Évertor Ribeiro o “Grande” do Flamengo, fez gol e deu passe para outro; Vitinho é a “trava” do Flamengo

0
Empenhado, aguerrido e o maior responsável pelos gols do Flamengo, Évertor Ribeiro. "Não existe mais tempo para erros"...

O empate com o América-MG em 2 a 2 teve sabor amargo para os jogadores do Flamengo. Mesmo sendo fora de casa, o Rubro-Negro conquistava os três pontos até os 41 minutos do segundo tempo, quando sofreu o gol de empate. Nesse momento, o time de Maurício Barbieri estava recuado e jogava com um a menos – Cuéllar foi expulso aos 19. O técnico explicou o recuo do time e as substituições após a perda do volante:

– Estávamos com um homem a menos na casa do adversário. Tínhamos que nos precaver um pouco. Contra o Vitória, no primeiro jogo, já tínhamos tentado essa estratégia. E tivemos chances em contra-ataque. A entrada do Rhodolfo foi para segurar a bola alta. A informação que eu tenho é de que não foi falta (lance do gol do América-MG). Não vi, mas foi o que soube. E depois foi acaso. A bola bateu na trave e sobrou para o jogador.

O Flamengo começou o jogo recuado e com marcação no campo de defesa, oferecendo espaços para o América-MG. No segundo tempo, voltou melhor e os quatro jogadores de frente começaram a jogar mais próximos. Logo chegou ao segundo gol, com Lucas Paquetá. Para Barbieri, a troca de posição do quarteto é uma estratégia a ser mantida e melhor trabalhada:

– Eles tiveram alguns espaços, principalmente no primeiro gol, mas no jogo como um todo não tiveram muitas chances. Nessas duas partidas ficou mais evidente (troca de posição do quarteto ofensivo). É uma movimentação que já buscamos. Os jogadores vão se encontrando, se conhecendo até no olhar, onde um quer a bola ou outro. E esperamos manter isso em um bom nível, melhorar contra o Cruzeiro, para conseguirmos o resultado que precisamos.

Com o empate, o Flamengo se mantém em terceiro lugar, agora com 41 pontos – a quatro do líder São Paulo (venceu o Ceará) e a um do vice-líder Internacional (empatou com o Palmeiras). Na próxima rodada, o Rubro-Negro enfrenta o Ceará no Maracanã, domingo, às 11h.

Antes, tem a decisão com o Cruzeiro, pelo jogo de volta das oitavas de final da Libertadores, quarta, às 21h45, no Mineirão. A Raposa venceu a partida de ida, no Maracanã, por 2 a 0. Para se classificar, o Fla precisa devolver os 2 a 0, para levar a decisão para os pênaltis, ou vencer por qualquer outro resultado por dois ou mais gols de diferença.

Outras declarações de Barbieri:

  • O jogo

É um time que vem em uma crescente com a chegada do Adilson. Dificilmente vamos passar um jogo todo sem errar. E cometemos alguns erros. No primeiro tempo, quando não conseguimos sair tanto, era natural se resguardar um pouco mais. Não queríamos marcar tão atrás, mas, além do primeiro gol, eles não criaram tanto.

  • Por que Rhodolfo e Arão?

Eles não estavam criando muitas chances. O que criaram foi em uma bola cruzada na área, onde o Léo e o Réver estavam distantes. A intenção era ocupar aquele espaço, ganhar presença de área com o Rhodolfo e usar a velocidade do Rodinei. O gol não tem a ver com as trocas. Tem a ver com um lance em que o árbitro entendeu que foi falta, a bola pegou na trave e sobrou para o adversário. Estamos em uma sequência difícil em agosto, mas seguimos lutando.

Barbieri não fala, mas, a “trava” do Flamengo tem sido o jogador Vitinho, que não tem tido bom desempenho em campo, não consegue realizar nenhuma boa jogada individual, tem irritado os torcedores e, aliás, foi quem perdeu a bola no ataque e permitiu o segundo gol do empate do América.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here