Mulher e amante planejaram matar marido a facadas pelo menos 15 dias antes do crime, diz polícia

0

Em depoimento, a mulher disse que o amante teria se revoltado com as agressões que ela sofria. Casal teve prisão preventiva decretada pelo 1º Distrito Policial de Dourados.

Por g1 MS — Mato Grosso do Sul

Em depoimento, Mayra de Lima Luna, de 22 anos, confessou que planejou assassinar o marido, Douglas Novaes Rocha, há pelo menos 15 dias antes do crime, em Dourados (MS), a 235 km de Campo Grande. O homem foi morto com 11 facadas enquanto dormia na residência do casal. A mulher teve auxílio do amante, que segue foragido.

De acordo com o delegado do Setor de Investigações Gerais (SIG), Erasmo Cubas, a 3ª Vara Criminal expediu mandado de prisão preventiva contra Mayra e seu amante Bruno José Feliciano. Os comparsas premeditaram o crime pelo menos 15 dias antes do ocorrido.

Após a decretação de sua prisão, a defesa tentou a revogação com prisão domiciliar alegando que Mayra tem filhos. A vítima deixa três filhos.

Pelo o que a mulher descreveu em depoimento, da forma que aconteceu, o crime estava sendo planejado há dias. Ela não negou a intenção de assassinar o marido e não demonstrou nenhum sentimento sobre o que aconteceu”, avaliou.

Ainda segundo o depoimento de Mayra, o amante viu alguns roxos no corpo dela e afirmou que “isso não pode acontecer”. A mulher ainda falou que Bruno poderia dar um jeito no marido matando-o para ela.

A perícia mostrou que Douglas Rocha foi atacado sem ter chance de se defender. Bêbado e dormindo, ele foi golpeado em pontos vitais do corpo, como o pescoço e o peito. Ainda de acordo com o delegado, Mayra tentou desfazer a cena do crime arrumando o local onde Douglas foi assassinado.

Com prisão preventiva decretada pela Justiça de Mato Grosso do Sul, o SIG está à procura de Bruno José Feliciano.

“Nós fizemos diligência em diversos locais em que ele poderia estar, mas até o momento não conseguimos prendê-lo, é possível que tenha fugido para outra cidade. Por isso estamos disponibilizando o telefone de denúncia do SIG para toda a sociedade, que é o 9 9129-5151”, pontuou Erasmo Cubas, titular do SIG e responsável pelo caso.

Suspeita diz ter sido agredida pelo marido

A suspeita justificou que teria cometido o crime por estar cansada da agressividade e ameaças que o marido fazia. Segundo as investigações, após a vítima pegar no sono, Mayra ligou para o amante e juntos desferiram diversas facadas, depois colocaram o corpo no carro de Douglas e saíram.

Os suspeitos jogaram o corpo em uma vala, em uma propriedade rural de Dourados. A vítima foi encontrada por trabalhadores de uma oficina e, segundo a polícia, Douglas possuía múltiplas perfurações.

De manhã seguinte do crime, Mayra contou ter ido até a casa de sua mãe e depois, até a casa da sogra para perguntar do marido. Na tentativa de encobrir o crime, ela chegou a ligar para o pai da vítima e foi até a borracharia onde o marido trabalhava para perguntar se alguém tinha informações do paradeiro dele.

Corpo de Douglas foi encontrado em uma vala, na área rural de Dourados — Foto: Sidney Bronka

caso registrado como homicídio, agora é investigado como homicídio qualificado, emboscada e recurso que dificultou a defesa da vítima.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here