Mundial é único título que ainda falta ao Chelsea de Abramovich

0

Mundial é único título que ainda falta ao Chelsea de Abramovich

Por Redação do ge — Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos

No Chelsea não tem essa história de “falta de interesse” no Mundial de Clubes. Ainda mais quando o título é uma ambição do chefe máximo. Esse é o único troféu que ainda falta para o clube inglês conquistar desde que foi comprado pelo magnata russo Roman Abramovich, há quase 20 anos.

O próprio Chelsea destacou em seu site oficial nesta semana o peso, ou melhor, “a grande seriedade”, que existe para o Mundial de Clubes por ser o torneio que falta na era Abramovich. Período que começou em maio de 2003, quando ele adquiriu a propriedade do clube inglês por 140 milhões de libras (na época, o equivalente a R$ 639 milhões).

Desde então foram 14 técnicos diferentes (sem contar interinos), mais de € 2,3 bilhões em contratações de jogadores e 20 troféus conquistados.

Títulos do Chelsea desde 2003:

Campeonato Inglês: 5
Copa da Inglaterra: 5
Copa da Liga Inglesa: 3
Supercopa da Inglaterra: 2
Liga Europa: 2
Liga dos Campeões: 2
Supercopa da Europa: 1

Chelsea e Palmeiras se enfrentam às 13h30 do próximo sábado, em Abu Dhabi. Acompanhe a partida em Tempo Real no ge.

Os investimentos pesados do bilionário russo — cuja origem do dinheiro já foi motivo de investigações e críticas — colocaram o Chelsea entre os principais clubes da Europa. A primeira e única oportunidade para ganhar o Mundial de Clubes até hoje foi em dezembro de 2012, mas o time inglês perdeu na final em Yokohama para o Corinthians.

Aquele foi o primeiro ano financeiramente “no azul” sob a gestão de Abramovich. Passada quase uma década, com direito a quase venda do clube, e muitas edições do Mundial, o Chelsea está de volta à decisão do torneio, novamente contra um brasileiro.

— Chegar na final desta competição é muito importante para o clube. Nunca ganhamos e é por isso que os jogadores sentiram a pressão, mas eles foram muito bem em não levar gols — comentou o auxiliar técnico Zsolt Low, após a vitória sobre o Al Hilal.

Formação do Chelsea que venceu o Al Hilal na semifinal do Mundial. Azpilicueta jogou em 2012 — Foto: AFP

 

Apesar do grande crescimento econômico e esportivo dos times da Premier League nas últimas décadas, somente Manchester United (1999 e 2008) e Liverpool (2019) foram campeões mundiais. E o Chelsea também tenta entrar no grupo, que no momento é uma dupla formada por Bayern e United, de clubes que já ganharam todos os troféus possíveis da Uefa (Copa dos Campeões/Liga dos Campeões, Taça da Uefa/Liga Europa, Supercopa da Europa) e o Mundial de Clubes.

Para conquistar esse tão desejado título pelo dono do clube, o Chelsea também vai ter que superar além do Palmeiras o desgaste físico. O time inglês disputou jogos por cinco competições diferentes nos últimos 25 dias. Cansaço que ficou evidente no segundo tempo contra o Al Hilal.

— Acho que a nossa preocupação agora é descansar. Eles agora têm um dia de a mais de descanso. Jogamos sábado, tivemos que jogar prorrogação e tudo. Hoje o segundo tempo pesou um pouco, conseguimos observar isso. O mais importante é recuperar, ver os estudo que temos que fazer. Porque para vencer o Palmeiras com certeza a gente tem que jogar partida de alto nível — disse o zagueiro Thiago Silva.

Jogadores do Chelsea comemoram vitória sobre Al Hilal e vaga na final do Mundial de Clubes — Foto: AFP
Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here