Douradense é a terceira vítima do vírus H3N2 em Mato Grosso do Sul

0

A SES (Secretaria de Estado de Saúde) confirmou nesta quinta-feira, dia 30 de dezembro, o terceiro óbito por vírus H3N2, subtipo da influenza A, em Mato Grosso do Sul. Trata-se de uma mulher de 55 anos, moradora na cidade de Dourados, que teve início dos sintomas em 23 de dezembro, deu entrada na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) no dia 27, e morreu na área vermelha da UPA em 28 deste mês.

O primeiro óbito ocorreu no dia 21 de dezembro em Campo Grande. Trata-se de um jovem de 21 anos que deu entrada no CRS (Centro Regional de Saúde) Nova Bahia no dia 20 de dezembro. Ele foi transferido para o HRMS, mas não resistiu.

Já a segunda morte foi registrada na terça-feira (28), no município de Corumbá. Trata-se de uma idosa de 76 anos, que estava internada na Santa Casa de Corumbá. Os três casos foram analisados pelo Lacen MS e confirmados para Influenza A (H3N2). 

Nesta semana, a SES (Secretaria de Estado de Saúde de MS), por meio de um vídeo feito pelo coronel Marcello Fraiha, assessor Militar da SES, afirmou que não há motivo para a população entrar em pânico.

“É preciso reforçar que não há motivo para pânico, porque a série histórica de mortes por influenza em MS, registrada desde 2009, aponta que os casos e mortes estão abaixo da média”, disse o coronel. Em 2016, por exemplo, MS chegou a registrar 103 mortes. Em 2020 foram oito casos.

Vacinação

A vacinação para para influenza A e seus subtipos está disponível nos postos de saúde. São considerados grupos prioritários crianças de 6 meses a 6 anos de idade. Trabalhadores de saúde, da área da segurança, das Forças Armadas, pessoas privadas de liberdade e idosos acima dos 60 anos.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here