-As vítimas eram sobrinha, enteada e filhas do homem e têm de 17 a 1 ano. Todas eram ameaçadas para permanecerem caladas-

Um ajudante de serviços gerais é investigado pelo estupro da sobrinha, da enteada e das três filhas, em Campo Grande. As vítimas têm de 17 a 1 ano, e eram abusadas diariamente. O crime só foi descoberto após policiais da Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente) cumprirem um mandado de prisão vindo do Paraná contra o suspeito.

Segundo a delegada Anne Karine Sanches Trevizan, o suspeito foi preso no Paraná por atentado ao pudor e lá começou a cumprir pena pelo crime em regime semiaberto. No ano passado, deixou de ir ao presídio durante a noite e obrigou a família a fugir com ele para o Mato Grosso do Sul.

O homem se mudou com a mulher, a sobrinha de 17 anos, a enteada de 15, as três filhas de 12, 6 e 1 ano, e outros quatro filhos, para Campo Grande. Na Capital, começou a trabalhar com serviços gerais em uma empresa, alugou uma casa no Jardim Samambaia e vivia em liberdade até ser encontrado pelos policiais da especializada neste mês.

Assim que foi preso, por conta do mandado de prisão do Paraná, a polícia descobriu que todas as meninas da casa eram violentadas pelo homem. Os estupros aconteciam abertamente na casa, escondidos por ameaças e agressões constantes.

Ao Campo Grande News, a delegada explicou que o preso estuprava desde a sobrinha de 17 anos até a filha mais nova, de apenas 1 ano. “O estupro acontecia de maneira explícita dentro da casa. Ele abusava sexualmente de uma vítima em um quarto e em seguida buscava outra, inclusive a bebê de 1 ano. Uma era testemunha da outra”, detalhou Trevizan. Os meninos não sofriam abusos, conforme a investigação.

A mãe das crianças sabia de todos os crimes, mas ouvia do marido que toda a família seria assassinada caso ele fosse denunciado. “Ele era muito agressivo, todas elas tinham muito medo dele”. Com a prisão, a mulher também foi levada a Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) e registrou boletim de ocorrência contra o marido por uma série de ameaças e agressões.

Na Depca, o homem foi indiciado por cinco estupros de vulnerável e teve a prisão preventiva por esses crimes pedida a justiça nesta quinta-feira (16). Por entanto, ele permanece no Estabelecimento Penal “Jair Ferreira de Carvalho”, a Máxima de Campo Grande, pelo caso registrado no Paraná.

2º caso –Esse mês as equipes da especializada também cumpriram mandado de prisão dentro da Penitenciária de Segurança Máxima de Campo Grande contra um homem acusado de estuprar e torturar a enteada, uma criança de 12 anos. Ele já estava preso por coagir as filhas a mentir durante investigações de homicídio cometido por ele em Mato Grosso.

(Extraído do CGNews)

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here