Vereadores Idenor Machado, Pedro Pepa e Cirilo são presos na Câmara de Dourados

0

Operação da Polícia Civil e MP suspeita pagamento de propina por empresas, também cumpre mandados em Campo Grande

Batizada de “Cifra Negra”, a operação que prendeu três vereadores de Dourados, 225 km de Campo Grande, nesta quarta-feira (dia 5), mira fraude em licitação e pagamento de propinas a servidores públicos.

São 10 mandados de prisão e um de busca e apreensão em Dourados e na Capital. Até o momento, a informação é de cinco detenções: Pedro Alves de Lima, o Pedro Pepa (DEM), atual candidato a presidente da Câmara, Cirilo Ramão Cardoso (MDB) e Idenor Machado (PSDB), todos vereadores. Amilton Salina, ex-funcionário da Casa de Leis de Dourados, investigado em operação anterior, e Dirceu Longhi, ex-vereador, também foram detidos.

Segundo o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), a ação de hoje é desdobramento das operações Telhado de Vidro e Argonautas, que investigam crimes de fraude à licitação e corrupção ativa.

A investigação aponta que as mesmas empresas se apresentavam em concorrências e agiam em conjunto, das quais, algumas delas, só existiam no papel. O intuito era simular uma disputa de propostas. “Sem a devida a concorrência, os valores dos contratos oriundos destes processos se faziam exorbitantes”.

O Ministério Público não especificou quais empresas e valores de licitação, apenas que as fraudes ocorreram durante a gestão do vereador Idenor Machado (PSDB) como presidente da Câmara, de 2013 a 2016. Ele está entre os presos.

Ainda de acordo com a apuração, para perpetuar o esquema, os envolvidos pagavam propinas a servidores públicos, “dentre eles os membros da Mesa Diretora da Câmara na época”. Os valores supostamente pagos também não foram revelados.

Operação

Equipes da Polícia Civil e do MP foram à Câmara Municipal de Dourados por volta das 15h30 para cumprir os mandados. Lá, os cinco envolvidos foram presos. Uma camionete Hilux prata foi vistoriada. O veiculo estava estacionado na vaga do vereador Cirilo, também detido.

Não foi informado se a prisão é preventiva ou temporária. Os presos foram levados para serem ouvidos por membros do Ministério Público na sede da instituição, em Dourados. (extraído do CGNews)

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here