Viável à Coamo, Dourados centraliza área produtora de 5 milhões de toneladas de soja

0

Não foi por acaso que a Coamo escolheu Dourados para implantar seu mais novo complexo industrial, uma estrutura de 92 mil metros quadrados que exigiu investimento de R$ 795 milhões para operar com capacidade de processar 3 mil toneladas de soja e refinar 720 toneladas de óleo de soja por dia. O município está no centro de uma área geográfica que concentra nove dos 10 maiores produtores do grão em Mato Grosso do Sul.

Presidente da cooperativa agroindustrial, José Aroldo Gallassini explica que muito antes de lançar a pedra fundamental da obra, um amplo estudo de viabilidade econômica comprovou que o investimento na região estava de acordo com os interesses de ampliação da estrutura produtiva.

“A decisão por Dourados, como em todas as indústrias que nós fizemos, estamos na 10ª indústria, a gente faz um estudo de viabilidade econômica e onde der a gente vai. Não é só porque eu quero que vou para esse local. Deu Dourados em função do volume de soja que tem Mato Grosso do Sul e que vai crescer”, informou.

Ele citou a indústria do mesmo tamanho existente em Campo Mourão, no Paraná, que processa 3 mil toneladas por dia, e outra em Paranaguá, no mesmo estado, com capacidade para processamento de 2 mil toneladas diariamente. “Então vão ser 8 mil toneladas/dia de esmagamento de soja”, detalhou.

Gallassini pondera que mesmo com o volume de soja exportado para a China, “que só compra grão e só industrializa lá”, há sobra de volume do produto para industrialização em território nacional. “Para nós é uma felicidade muito grande poder dar essa contribuição aos nossos cooperados na região toda de Mato Grosso do Sul, onde atuamos em nove municípios e temos 14 unidades de recebimento de produtos”, destacou.

De acordo com a mais recente Pesquisa Agrícola Municipal, divulgada em setembro pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Pesquisas), nove dos 10 maiores produtores de soja de Mato Grosso do Sul estão no entorno de Dourados. Juntos, esses municípios produziram mais de 5 milhões de toneladas na safra de 2018.

Principal produtor estadual, que colheu 1.083.060 toneladas na safra anterior, Maracaju está distante 93,5 quilômetros de Dourados. Segundo desse ranking, Sidrolândia, produtor de 787.200 toneladas, a 181 quilômetros, e Ponta Porã, que teve 774.000 toneladas produzidas no ano passado, a 121 quilômetros.

Quarto maior produtor sul-mato-grossense de soja, Dourados colheu 612.000 toneladas. Na vizinhança, Rio Brilhante, produtor 440.000 toneladas, está a 96 quilômetros, Laguna Carapã (401.400 toneladas), a 58,1 quilômetros, Aral Moreira (385.200 toneladas), a 150 quilômetros, Caarapó (320.400 toneladas) a 52,2 quilômetros, e Naviraí (318.420 toneladas) a 137 quilômetros.

Desses 10 maiores produtores estaduais de soja, somente São Gabriel do Oeste, quinto do ranking, com 468.000 toneladas, fica a mais de 200 quilômetros de distância de Dourados (367 quilômetros).

Mato Grosso do Sul é mencionado na Pesquisa Agrícola Municipal do IBGE como o 5º maior produtor nacional, responsável por 8,4% (9.869.382 toneladas) de toda a soja colhida no Brasil em 2018. E três dos principais produtores do Estado figuram entre os 20 maiores do país. Líder estadual, Maracaju é 11º nacional, seguido por Sidrolândia (16º) e Ponta Porã (18º).

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here