‘Habitat natural’ ou ‘subir pra cima’ são expressões comuns, mas erradas. Evite o óbvio, confira as dicas e não escorregue mais no texto.

Muitas vezes, falamos ou repetimos expressões sem pensar muito no significado. Aí mora o perigo. Em uma redação para o vestibular, o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) ou mesmo para concursos públicos cometer erros como “sair pra fora” ou “subir pra cima” derrubam qualquer candidato. Veja alguns exemplos e elimine o óbvio do seu vocabulário:

 

Sair pra fora ou subir pra cima são pleonasmos (repetição da mesma ideia na expressão). Ninguém sai para dentro ou sobe pra baixo, certo? Apenas sair ou subir. Criar novos empregos. Se a ideia é criar, é fazer algo novo. Não dá para criar algo velho. Portanto, use apenas criar empregos.

Através é muito utilizado nos textos, use se for se referir a algo que está literalmente atravessando alguma coisa, caso contrário, melhor usar por meio de ou por intermédio de.

Habitat natural. Habitat é o termo usado na ecologia para se referir ao local onde uma determinada espécie vive e se desenvolve. Logo habitat natural também é um pleonasmo — todo o habitat é natural.

Traz x Trás. Muito comum confundir o uso das palavras. Trás é uma referência a parte traseira. Traz é a conjugação do verbo trazer

Planos para o futuro? Projetos para o futuro? Planejar antecipadamente. Pense um pouco na expressão. Já viu alguém fazer um plano ou projeto para o passado? E quem planeja está se antecipando a uma determinada situação. Cuidado com a redundância.

Sorriso nos lábios até pode soar simpático ou poético, mas o sorriso só pode estar nos lábios. O mesmo vale para países do mundo, os países estão no mundo. Pequenos detalhes. Se são detalhes, só podem ser pequenos. Nessa linha, jamais use despesas com gastos – despesas e gastos são sinônimos.

Há 10 anos atrás. Há já indica tempo, não é necessário usar a palavra atrás. Use: Há dez anos ou 10 anos atrás.

Resultado de imagem para erros de português mais comuns

VEJA MAIS INFORMAÇÕES IMPORTANTES PARA QUEM VAI FAZER CONCURSO:

1) Interpretação de enunciados e textos
É fundamental que o candidato leia o texto com cuidado e preste atenção aos enunciados das questões com cuidado. Às vezes, há preocupação excessiva com o tempo pode tirar o foco de uma leitura concentrada durante a realização da prova.

Uma dica é sempre destacar os verbos de comando dos enunciados  a exemplo de ” compare”, “justifique”, assim como é fundamental grifar os textos que serão analisados.

2) Uso da crase
A crase é o motivo de confusão para muitas pessoas A fusão do artigo feminino “a” com a preposição “a” tem regras específicas de emprego. Antes de fazer a prova, consulte todos os usos da crase em uma Gramática bem recomendada pelos professores.

3) Ortografia
Se a banca quer for corrigir a redação for muito criteriosa,  é aqui onde o candidato pode ser eliminado. Ler jornais, revistas, livros e sites podem ser um bom caminho para evitar cometer erros de ortografia.

4) Emprego de pronomes
Este é um assunto recorrente em provas. Questões sobre pronomes frequentemente aparecem como “pegadinhas”. O concurseiro precisa tomar cuidado para não confundir as regras sobre colocação de pronomes oblíquos átonos, como “me”, “te”, “se”, “lhe”, “o” e “a”. Revisar o emprego dos pronomes antes de fazer a seleção é uma dica importante para os concurseiros.

5) Onde x aonde
O uso oral de “onde” e “aonde” pode ser um armadilha para o candidato na hora de aplicar  o conhecimento na prova.“Onde” é empregado para ideia de algo fixo, que não tem movimento, como em “Onde você mora?”.

Já “aonde” acompanha verbos que dão ideia de movimento, de mudança, como em “Aonde você foi?”. Um simples memorização que pode valer muitos pontos e colocações durante a seleção.

 

  

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here